terça-feira, 25 de julho de 2017

ESPR no Parlamento dos Jovens. Valeu a pena!


Parlamento dos Jovens. Os jovens e a Constituição.




           A exemplo de anos anteriores,  a escola aceitou o repto da Assembleia da República e abraçou o projeto Parlamento dos Jovens em ambas as sessões, dinamizado pelos professores  de História. Inicialmente não estava muito entusiasmado com a ideia, devo confessar,  mas uma animadíssima campanha eleitoral , disputada por  cinco listas, com várias iniciativas, debate, e uma sessão de esclarecimento da nossa conterrânea, Exma.  Sra. Deputada Margarida Balseiro Lopes, que acompanhou  o nosso projeto desde o início, apoiando, esclarecendo e motivando os alunos para a importância da cidadania participativa, fizeram–me mudar de ideias.

          O tema escolhido para este ano foi muito importante.  A celebração da comemoração de 40 anos de constituição, a Lei fundamental do País, permitindo-nos aprofundar conhecimentos sobre algo que já havíamos falado nas aulas de História com  o estudo da evolução  das várias constituições e separação dos poderes, suas atribuições aos diversos órgãos, a construção do edifício legislativo português, deu  para todos sentirmos que era possível intervir e contribuir para um Portugal melhor.


            A campanha eleitoral decorreu de forma animada, houve alguma troca de ideias, de pontos de vista e o dia das eleições chegou. Foram eleitos os 31  deputados à sessão escolar e reunidos na biblioteca da escola  discutimos as propostas e as ideias começaram a tomar forma, criando um projeto de escola com preocupações essencialmente sociais.  Foi uma sessão de muita aprendizagem  para aqueles que  assistiram e onde todos discutimos assuntos que até à data pouco nos tinham preocupado. Essa foi a primeira vitória. Afinal tínhamos ideias e podíamos tentar fazer alguma coisa.

Lara Margarida Soares no Concurso  Nacional de Leitura - Menção Honrosa


                             Professoras Inês Silva e Ana Alves







     






Escola EB/JI João Beare premiada no Geração Depositrão 2017



Recriar: Constrói o teu Depositrão

Para a construção do Depositrão utilizou-se uma metodologia de trabalho de projeto.
Inicialmente as crianças referiram o que já sabiam sobre o Depositrão, assim "fez-se o levantamento das ideias das crianças, de seguida partiu-se para o que queriam saber "O que vamos fazer?" e posteriormente "como vamos fazer?". Partindo destas três fases as crianças deram asas à sua imaginação e construíram o Depositrão.
No decorrer de todo o processo foi-lhes dado a conhecer o que era o Nariz Vermelho e qual a sua importância. Deste modo as crianças definiram que queriam construir um caixote palhaço utilizando materiais que recuperavam na escola (tampas de iogurte, cartão reutilizado e plástico).


Mensagem a apelar a recolha solidária com alusão à Operação Nariz Vermelho:

Ao reciclar está a poupar, a ajudar e a apoiar os amigos da Operação Nariz Vermelho.

Descrição dos materiais utilizados:

A base foi um caixote grande de madeira, de forma quadrada.
Foi forrado com cartão de caixa (as crianças pintaram o cartão)
Para os olhos, utilizaram-se tampas de plástico,
A boca foi feita sobre uma base de cartão com massas que as crianças pintaram.
O nariz foi feito com pasta de papel que os alunos fizeram a partir de papel de jornal.
O Chapéu foi um saco de plástico cheio de papel de jornal.
Colas diversas


Idade dos alunos: 3,4 e 5 anos (pré-escolar)

Envolvimento dos alunos:


Para a construção do Depositrão as crianças definiram o que queriam fazer e como fazer. Participaram na seleção dos materiais, na pintura dos mesmos e na construção/montagem do Depositrão.
Foram propostas feitas em grande grupo, trabalho a pares e individual.
Foi o despertar/sensibilizar para a reciclagem /reutilização de materiais em fim de vida e para uma causa tão nobre como "O Nariz Vermelho".




Envolvimento de outros elementos da comunidade:
Toda a comunidade educativa esteve envolvida, quer alunos do 1º Ciclo, quer outros docentes e assistentes operacionais, através do apoio e ajuda sempre que se justificou.





sexta-feira, 21 de julho de 2017

Festividades, Multiculturalidade e Ambiente na EB/JI João Beare

No dia 24 de junho, a escola João Beare abriu as suas portas a toda a comunidade educativa, possibilitando-lhe conhecer os vários projetos em que esteve envolvida durante este ano letivo.
Porque somos uma escola que se preocupa com a preservação do meio ambiente e em formar crianças conscientes da necessidade de adotarem práticas sustentáveis, estivemos envolvidos no projeto eco escolas. 
Com a atividade geração Depositrão a escola funcionou como ponto de recolha de pequenos e grande eletrodomésticos em fim de linha e recolhemos 782 Kg. Construiu-se um Depositrão com alusão ao nariz vermelho, já que a campanha apresentava uma componente solidária em que o dinheiro obtido com a recolha será doado à mesma. Aderimos ainda à campanha " Reciclar é que está a dar" recolhendo 1110 Kg de papel e cartão e 604 Kg de plástico e metal. Estas foram apenas duas das atividades do projeto, entre muitas outras que marcaram o dia a dia da escola.
Na festa de encerramento, comemorou-se ainda o Dia da Eco-Escolas, tendo funcionado no recinto escolar a Banca do Livro Usado e outras atividades alusivas ao tema do Ambiente.
A escola João Beare acolhe alunos de diferentes culturas o que a torna culturalmente mais rica e um lugar aberto à partilha e ao respeito por costumes e tradições de diferentes partes do mundo.
A par com o trabalho realizado nas salas, onde estes meninos se encontram inseridos, o ano escolar culminou, também, com o Dia da Multiculturalidade, com atividades dedicadas à promoção da identidade cultural das várias nacionalidades presentes na escola. Desde desfile de trajes típicos, à partilha de músicas e danças, até ao saborear de vários pratos típicos e doces, todos ficámos mais ricos culturalmente.
Em articulação com a Associação de Pais, foi permitido que este dia fosse de convívio entre toda a comunidade educativa, proporcionando momentos de lazer e proximidade. Não faltaram as barraquinhas com comes e bebes que tradicionalmente animam as nossas festas, já de si tão ricas com as atuações dos nossos alunos.