segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Alunos produzem eletricidade com fitomolécula anticancerígena



Um grupo de alunos do 8º ano da Escola Secundária Pinhal do Rei acaba de fazer uma descoberta inédita na área da energia. Quando estavam a investigar moléculas de origem vegetal que pudessem gerar energia elétrica, observaram que uma delas podia produzir uma quantidade enorme de energia se recebesse luz. 




Do grupo das cumarinas, essa molécula pode ser obtida a partir da casca de alguns frutos por um processo relativamente simples. A molécula, já descrita na literatura científica com sendo um importante fator no combate ao cancro, revela também propriedades muito interessantes na emissão de eletrões quando fica excitada pela luz. Quando os alunos observaram a diferença de potencial à luz e no escuro ficaram surpreendidos. Na sequência dessa descoberta, imediatamente este grupo de “jovens cientistas” construiu um sistema constituído por dois elétrodos e um semi-condutor de carbono mergulhados num tubo de vidro onde se encontra o solvente e a molécula fotoativa. O sistema gerou quase um volt (ver figura).
A próxima etapa será a de construir a primeira pilha recarregável apenas com luz.
De lembrar que esta descoberta surge na sequência de um dos projetos considerado de mérito pela Fundação Ilídio Pinho chamado CSP 3 – Concentrated Solar Power 3.

Sem comentários:

Enviar um comentário