segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Alunos criam vidro que gera energia elétrica a partir da luz

Um grupo de alunos da Escola Secundária Pinhal do Rei acaba de fazer uma descoberta que poderá revolucionar o setor da energia. Inspirados nos processos fotossintéticos das plantas, estes jovens cientistas conseguiram produzir um sistema que gera energia elétrica num vidro a partir da luz e de biomoléculas fotossensíveis.






Esta nova tecnologia baseia-se num processo relativamente simples. Os pigmentos, retirados da acácia de folha comprida, captam a energia solar e transformam-na em energia elétrica a qual pode ser canalizada por nanocondutores de carbono. Segundo os autores da investigação, o passo mais difícil neste processo foi o de estabilizar a molécula orgânica da acácia. A resina da mesma planta foi a solução inesperada depois de inúmeros ensaios com centenas de outros compostos orgânicos. Uma única célula deste fotossistema pode gerar mais de 3 volts. De forma igualmente importante, esta forma de transformação de energia luminosa é renovável e limpa contribuindo para uma melhor sustentabilidade do planeta.
As futuras aplicações destes vidros são inúmeras, desde o setor dos transportes, indústria, ao setor do consumo doméstico. Uma simples janela ou um vitral poderá fornecer energia para toda uma casa. Até os simples telemóveis poderão utilizar esta tecnologia sendo apenas suficiente um pouco de luz para os “alimentar” energeticamente.
O próximo passo será o de desenvolver um novo painel solar muito mais eficiente que procure imitar os melhores painéis que se conhecem: as folhas das plantas.
De lembrar que esta descoberta surge na sequência de um projeto vencedor do prémio da Fundação Ilídio Pinho chamado CSP 3 – Concentrated Solar Power 3. O principal objetivo deste projeto é o de desenvolver um captador e concentrador de energia solar que poderá ser três vezes mais eficiente que os atuais painéis solares.

Sem comentários:

Enviar um comentário