terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Entrevista à diretora do agrupamento Marinha Grande Nascente


No passado mês de outubro, os alunos do Clube de Jornalismo da Escola Básica Prof. Alberto Nery Capucho resolveram realizar uma entrevista à diretora do agrupamento para a conhecer melhor. Aproveitou-se, então, uns minutos da aula de português, sendo o João Casaca, aluno do 6ºF, o entrevistador.
O que a levou a ser professora?
Desde pequena foi um sonho dar aulas.
Há dois anos que não tenho turma, mas sinto sempre muita alegria quando entro na sala de aula.


Como é trabalhar na direção de um agrupamento?
É um desafio todos os dias, já me habituei a enfrentar problemas todos os dias e tentar arranjar uma solução para eles. Nem sempre é fácil, mas tenho uma equipa de trabalho que me ajuda a tomar as melhores decisões. Infelizmente, nem sempre se consegue agradar a todos, quer aos alunos, quer aos pais, quer aos professores.

Em que é que os alunos deveriam melhorar?
Deveriam melhorar sobretudo o seu comportamento, deveriam ter regras para saber diariamente o que podem e o que não podem fazer. Esquecem-se frequentemente de aplicar as regras de boa educação.
Por vezes até são os mais velhos que se esquecem de que a sua liberdade só existe com o respeito pelos outros, pela liberdade dos outros. Pensam que hoje, porque vivemos em liberdade tudo é permitido. Mas não é.
Preocupa-me o facto de hoje em dia, mesmo os alunos mais novos do pré-escolar virem para a escola muito agitados.
Há uns anos atrás, logo à entrada no pré-escolar, as regras de conduta eram bem assumidas pela maioria das crianças. Hoje, isso não se verifica. Já no 1º ciclo existem alunos que perturbam o normal funcionamento das aulas por não cumprirem as regras de conduta estabelecidas.
Mas estas situações também ocorrem fora da escola. Por exemplo, numa situação complicada de trânsito, os adultos por vezes também se descontrolam e agem de forma menos correta,”apitam”,”gesticulam”!
Cabe aos jovens mostrar que a vida em sociedade pode e deve ser vivida de forma pacífica e educada.
Havia em tempos na escola secundária Pinhal do Rei um projeto em que os alunos mais velhos da Associação de Estudantes apoiavam os mais novos, para melhorarem o seu comportamento e os seus resultados escolares. Este ano vamos tentar implementá-lo de novo.

Que projetos ambiciona implementar neste agrupamento?
Há projetos muito variados neste agrupamento, por exemplo existe um de Educação Financeira que será implementado este ano em todos os níveis de ensino. Chama-se “Todos Contam”, para os jovens perceberem, desde pequenos, a organização da vida financeira, da semanada ou da mesada que podem vir a receber. É uma atividade que integra muitos jogos. O professor Pedro Lopes é o responsável deste projeto e virá futuramente divulgar este projeto. Também vamos implementar o projeto “Erasmus +”, o “Desporto Escolar”, o “Xadrez”, vários clubes de línguas, de “Alemão” e “Francês”, de “Teatro”, de “Jornalismo”, do “ Voluntariado” com alunos da Nery e da Pinhal do Rei, o “ Eco-Escolas”, o “Clube da Ciência”, o “Clube de Arte em Movimento”, entre outros.
Muitas atividades são desenvolvidas na escola Nery Capucho e outras na Pinhal, sendo que os transportes agora já facilitam a ida e vinda dos estudantes destas escolas.

Os alunos do Clube de Jornalismo e a professora Irene Santos (dinamizadora do clube) agradecem a colaboração da diretora Lígia Almeida.


Sem comentários:

Enviar um comentário