quarta-feira, 20 de junho de 2018

Pensa o teu futuro! 2018 / 2019


Prémio Fundação Ilídio Pinho - Ciência na Escola 2017/2018

Terminou o projeto desenvolvido pelos Clube da Ciência, Escola Básica de Albergaria e empresa de plásticos "Sevlaires", que concorreu ao concurso "Ciência na Escola " da Fundação Ilídio de Pinho, com a produção de copos reutilizáveis. 
Este projeto potenciou a articulação de saberes entre ciclos, permitindo a investigação científica por parte dos alunos de 3º ciclo, a experimentação e o transpor de saberes para os alunos mais novos, do 1º ciclo. Incutiu ainda a curiosidade científica em todos os intervenientes.

O projeto também contribuiu com o trabalho colaborativo entre professores e com a empresa, concretamente com a proprietária Dina Gomes e o funcionário da empresa Sr. Leandro Rosado. 

Participação colaborativa dos encarregados de educação na dinamização do projecto, nomeadamente na realização de Ações de Sensibilização sobre a poluição dos oceanos e a produção de moldes /plásticos.
Na primeira fase do projeto os alunos do Clube da Ciência foram conhecer a fábrica de plásticos, identificaram a matéria-prima e como esta se transforma. Identificaram os diferentes tipos de plástico, caraterísticas e identificação simbólica (PVC, PE, PS, PP….) e conheceram os tipos de plásticos produzidos pela empresa. Os alunos averiguaram quais as medidas de segurança que foram tidas tidas em conta durante as visitas. Os alunos foram alertados para a problemática da poluição das águas dos oceanos contaminados pelos plásticos. Investigaram como produzir plástico no laboratório e os materiais necessários para a sua produção, produzindo estes. Também realizaram testes físico-químicos de identificação de plásticos (teste da chama, teste da densidade, teste da acetona, teste da combustão e teste do aquecimento). Depois desta investigação, os alunos do Clube da Ciência divulgaram a sua investigação aos alunos do 1ºciclo, realizando e explicando as referidas experiências, fazendo com eles alguns testes e produção do plástico. Outra fase foi a última visita à fábrica de plásticos ”Sevlaires” com os alunos, para produção e montagem de um copo de plástico reutilizável, observando todo o processo de fabrico. Foi promovido um concurso de Ideias para a elaboração de frases e desenhos alusivos à temática, para decoração do produto final “copo reutilizável”, para ser impresso no copo.
O copo irá ser comercializado nas festas de encerramento do ano letivo, do Agrupamento.

Fica um video do resumo do que foi o projeto, em:
https://youtu.be/a-SFD0BkMqo

e umas fotos dos copos produzidos
Os professores dinamizadores: 
Susana Fonseca, Sónia Pereira e António Almeida

sábado, 16 de junho de 2018

ALUNAS DA UNIVERSIDADE SÉNIOR COM AS CRIANÇAS DO JARDIM DE INFÂNCIA DA BOAVISTA


Como fazer pompons com garfos?

A poucos dias do final do ano letivo, alunas do Projeto de Vida Sénior da Universidade Sénior da Marinha Grande vieram ensinar a fazer pompons com garfos e fios de lã.
Com garfos de plástico e fios de lã branca, cor-de-rosa e verde fizemos pompons coloridos.
Enrolámos os fios de lã aos garfos e pusemos um fio mais pequeno no meio  para atar.
Depois atámos os pompons ao braço.
Foi divertido e gostámos de fazer pompons.
Professoras Cristina André e Cristina Silva

Alunos do Agrupamento de Escolas Marinha Grande Nascente, vencedores do concurso BA@School: Mantém o Oceano Transparente



No dia 11 de junho, as turmas A e B do 7º ano do nosso Agrupamento foram receber o prémio atribuído no Concurso BA@School: Mantém o Oceano Transparente.

Assim, as turmas puderam visitar um das fábricas mais conhecidas na atividade económica do Concelho: a BA Glass Portugal, que produz e comercializa embalagens de vidro (garrafas, frascos e boiões) destinadas às indústrias de alimentação e de bebidas. Hoje, a BA Glass é o segundo fornecedor ibérico de embalagem de vidro.

Depois de uma agradável receção dinamizada pela simpática colaboradora do projeto, Raquel Soares, em que todos fomos sensibilizados para a necessidade da adoção de gestos ecológicos no nosso dia-a-dia para um melhor ambiente, seguiu-se uma visita às instalações, após a qual os alunos receberam o certificado de adoção da baleia Annie da Pacific Whale Fundation. No final, todos tiveram direito a um pequeno lanche oferecido pela Empresa.


Bem-haja à BA por esta iniciativa que permite aos nossos alunos aplicarem os seus conhecimentos fora do contexto de sala de aula e conhecerem melhor as empresas do nosso concelho.

Professora Rosa Miranda 













À descoberta da Cidade e do Vidro - a passear também se aprende...


No dia 28 de maio, no âmbito do projeto sobre o vidro, as turmas A e B do 7º ano do nosso Agrupamento foram à descoberta da nossa cidade e realizaram o Roteiro do Vidro. Assim, visitaram alguns espaços que, apesar de se situarem na cidade, eram desconhecidos da maioria.

Em cada espaço, os alunos, divididos em grupo, responderam a uma pergunta relativa ao espaço ou a uma das disciplinas do seu currículo.

Após uma passagem pelo Museu Joaquim Correia, dirigimo-nos para a Praça Guilherme Stephens e seguimos para o Museu do Vidro ou antigo palácio Stephens, que para além de ser um edifício de inspiração neoclássica lindíssimo, constitui um importante centro de valorização cultural na área do vidro. Exibe não apenas a história da evolução do vidro, mas também todos os aspetos tecnológicos e culturais que lhe são inerentes. Nele também descobrimos um grande espólio de peças de vidro, entre elas: uma peça em cristal, da artista marinhense Vilma Libano, lapidada e com a gravação da última ceia,  representativa da nossa História e da nossa Tradição na arte de trabalhar o Vidro, réplica da ofertada ao Papa aquando da sua visita ao nosso país.  

Seguimos para o espaço de artesanato ao vivo, onde fomos muito bem recebidos por quem mostra a sua arte em trabalhar o vidro de forma artesanal e pudemos comprar recordações na loja de venda ao público onde são comercializadas as peças produzidas no local.

Visitámos ainda o Núcleo de Arte contemporânea e Poeiras Glass situado no Edifício da Resinagem, mas, infelizmente, não era dia de podermos experimentar soprar o vidro.

 Fica o convite a todos para descobrirem estes espaços que retratam a cultura da nossa Cidade!
Professora Rosa Miranda